• Marcelo Zabaleta

Médico de Família

O crescimento vertiginoso das informações técnicas gerou na ciência médica a necessidade da criação de especialidades. Em certas áreas, surgiram super especialistas, e o ser humano passou a ser dividido em um gigantesco quebra-cabeças, no qual cada conjunto de peças passa a ser tratado por um médico específico.

Isso dificulta ao leigo a busca do especialista correto, resultando um rodízio interminável de consultas a diferentes médicos.

Quando você lida com seres humanos, centrar o foco da consulta em um órgão ou aparelho isoladamente é inadequado. É fundamental manter a visão global do paciente, já que, principalmente, na terceira idade, fica difícil de identificar se os sintomas decorrem de problemas clínicos ou emocionais. Além do que é muito importante conhecer toda sua história dentro do contexto familiar.

Dedicar tempo ao doente, estar receptivo às suas queixas, e fazer um bom exame físico, torna possível diagnosticar dos males mais simples aos mais complexos.

É iminente, portanto, a necessidade da conscientização de mudanças em tal mentalidade. A valorização do especialista é necessária, mas se torna imprescindível a revalorização da figura do médico de família.

Posts recentes

Ver tudo

Aposentadoria

Aposentei -me recentemente e ainda sinto-me assustada com tanto tempo disponível. Que fazer? É muito importante que você mantenha compromissos consigo mesma. Assuma responsabilidades. Conserve ativid

Psicoterapia

É bastante usual as pessoas acreditarem que ansiedade, depressão e infelicidade sejam próprias do envelhecimento, e que, para isso, não haja tratamento. Ademais, se o idoso está com uma cor boa, o cor

Você tem insônia?

Não responda sem antes analisar as seguintes questões: você deita e acorda sempre no mesmo horário? Não vai para cama cedo demais esperando que o sono chegue? Evita lanches ou televisão na cama? Consi

Construído em 2019 por Leandro Machado e Marcelo Zabaleta